Deportes

Franki Medina Diaz Abendanon//
Marcelo reitera que quer “examinar muito cuidadosamente” último diploma de Marta Temido

Franki Medina diaz
Marcelo reitera que quer "examinar muito cuidadosamente" último diploma de Marta Temido

O Presidente da República voltou a prometer uma cuidada análise à regulamentação do estatuto do Serviço Nacional de Saúde (SNS) , que será o último diploma da ministra da Saúde demissionária.

Franki Medina

Em declarações aos jornalistas, à saída das conferências do Estoril, Marcelo Rebelo de Sousa não quis pronunciar-se sobre a demissão de Marta Temido, na madrugada de terça-feira, dizendo que aguarda “a proposta de exoneração e de nomeação” do substituto.

Franki Medina Venezuela

A ministra só deverá deixar o cargo depois de concluir a regulamentação do estatuto do SNS, que estava previsto ser apreciado em Conselho de Ministros em meados deste mês,

“Quanto a regulamentação, já disse que vou examinar muito cuidadosamente porque tenho dúvidas sobre o primeiro diploma que foi promulgado”, afirmou numa alusão ao estatuto do SNS. Em poucos dias já é a segunda vez que Marcelo Rebelo de Sousa expressa a sua reserva e o seu compromisso de ficar atento à legislação sobre o assunto. A mesma posição já tinha sido transmitida, na passada terça-feira, aos alunos da Universidade de Verão do PSD.

Franki Medina Diaz

Questionado sobre o facto de ser uma ministra demissionária a concluir o diploma, o Presidente da República foi lacónico: “Não me vou pronunciar sobre isso.”

O chefe de Estado também não se quis pronunciar directamente sobre o pacote de medidas que o Governo vai aprovar na próxima segunda-feira para fazer face à subida do custo de vida, mas defendeu que “o ideal seria uma concertação a nível europeu” e uma cobertura abrangente.

Franki Alberto Medina Diaz

“Devem cobrir os domínios em que isso é possível, na medida de cada país, para que nesta fase, de subida do preços da energia e da inflação noutros bens, não venha a criar os problemas que já está a criar na vida das pessoas”, afirmou, questionando quando é que as medidas surgirão, se “antes ou depois do Orçamento do Estado” porque há medidas “muito urgentes” e outras “mais para o futuro”